quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Minha Mãe

Sabem nunca expliquei pq o nome do blog é esse neh?
Mas a história é muito longa, um dia faço um post e conto pode ser??Mas agora vou falar pra vocês um pouco sobre minha mãe, pra quem não sabe, minha mãe, era argentina, artesã, comunista(fugiu da ditadura militar da argentina e veio pro Brasil), muito natureba...e um tanto depressiva, sempre via o mundo, com uma frustração de não conseguir mudar o que considerava ruim e injusto;;;
Tenho orgulho de ter convivido com tamanho intelecto, 2 faculdades, conhecedora de 5 línguas, mais de 10 nações, largou tudo e todos na sua terra, pra viver em um lugar onde o preconceito era muito grande na epoca com gringos, mas...é mas, quando perdeu a filha(minha irmã) entrou em depressao profunda, em 7 anos, morreu, o alcoolismo foi a válvula de escape dela, não aguentou, enterrar uma filha com tenra idade, e ela naquele mundo onde se escondeu, fugiu da propria vida.
Hoje entendo ela perfeitamente, mas na época não perdoava, lamento muito que meus filhos menores mal conviveram com ela, choro quando vejo o meu de 10 anos dizendo, mãe tu lembra quando a vó picava saladinha e fruta pra mim e colocava uns palitinhos??O lindão do Arthur da Elza tem uma foto comendo morango que me lembra ele com ela comendo frutas assim...ou a Laurinha a minha moça de 14 anos, e capaz de entrar na tua horta e dizer o nome de vários chás e temperos, pois com 4 anos minha mãe dizia: Laurinha, pega manjericão, alecrim e hortelã pra vó, e quando ela não sabia, a mãe ia lá e ensinava ela a cheirar, e mexer nas folhas.A gabriela ela ajudava e me enrolar e dava dinheiro escondido. Sabem, conheci refrigerante com 13 anos, ela era muitooooo natureba, e até hj lembro dela apoiando o partido verde e dizendo GABEIRA presidente do Brasil!!Excelente gosto gastrônomico, legitima capricorniana, e as vezes severa, em outras, nem tanto...enfim, essa era minha mãe, dificil de conviver, mas bem simples de entender, lamento não ter visto isso antes, 34 dias após a morte de minha mãe, eu tive um parto prematuro, meu filho nasceu e ficou no oxigenio e quando retiraram ele, teve um problema chamado membrana hialina, e morreu com 33 horas de vida, foi a pior sensação que tive na vida, mas ao mesmo tempo foi o momento que perdoei e entendi minha recem falecida mãe, se meu Lucas com 33 horas me fez quase morrer, imaginem minha mãe? que enterrou uma filha de 15 anos?Hoje respeito ela, e sei que mesmo frustrada muitas vezes ela fez tudo com amor absoluto, pela vida que nos deu, e pelo respeito, que nos ensinou a ter com o ser humano;;;AQUI é o primeira vez que desabafo isso, me perdooem pelo teor muito triste, mas essa sou, muitooo melodrámatica, como MINHA MÃE SABIA

Aqui deixo a poesia dela, que combina com tudo sempre...


Há tantas palavras fáceis, pensamentos audaces, nas nossas vidas injustas, nos corações sem faces...
As vezes eu não me explico, como é possível no meio de tanta violência solta o amor ainda estar a espreita.

Susana Graciela Traverso



Um beijo, adoro vocês, obrigada pelos comentarios...


Fernanda Traverso dos Santos

11 comentários:

  1. Poxaaa... que bonito, viu? Agora quem me emocionou demais foi vc!
    Chorar, não chorei! Mas me veio sim, lágrimas nos olhos e arrepio pelo corpo.
    Não acredito no acaso, Nanda.
    Não duvido que seu menino tenha vindo justamente com o intuito divino de ensiná-la a compreender a sua mãe. Deus é tão inteligente, né? Tão cuidadoso! É por isso que cada vez seguro mais forte em Sua mão.
    Obrigada por esse exemplo de fé!
    Fica com Ele, minha querida.
    Um abraço apertado e um bocadão de beijos.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que historia... triste e linda...

    Bjs

    Juliana

    ResponderExcluir
  3. Fernanda,

    Que exemplo de mãe, e que depoimento lindo o seu, entendemos nossas mães quando nos deparamos no papel inverso. Ficou claro a falta que ela lhe faz, mas também todo o amor e orgulho que sente por ela.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Que legal!!!! Aperspectiva do teu blog é igual a minha quando fiz o meu!
    A Fernanda Reali te indicou pra eu dar uma passada aqui, e cá estou.
    Vou te seguir, pois já vi que temos muitas ideias pra trocar.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  5. um relato muito forte. comovente, imagino a dor sofrida pela sua mãe... as saudades de uma filha que se foi. Ela deve ter sido uma pessoa que amou muito a vcs.

    ela deve ter sido uma mulher fantástica. Pelo intelecto, pela vida dela...


    espero que ela esteja bem, aonde ela estiver.
    Uma boa semana pra vc!

    ResponderExcluir
  6. Fernanda,
    Antes de tudo quero dizer que foi lindo ler este post! Deu para te conhecer muito amiga, e sua mãe também, e que mulher!
    Em um outro post você já tinha citado o tamanho da personalidade da sua mãe, alguém com pura autenticidade e com certeza você herdou muito dela.
    Vou repetir: coisa mais linda esse post!!!!!!
    Obrigada pelo carinho comigo e o Arthur lá no meu cantinho, fiquei o final de semana no hospital só dando carinho pra ele e percebi que a maior dor do mundo não é a dor do parto não, e sim, a de ver um filho sofrer!
    Agora que somos mães, com certeza entendemos melhor as nossas mães, rsrsrs
    Cuida dessa dor mulher, só pra continuar fazer as coisinhas lindas com tecidos que você fez no outro post. Adorei tudo :)
    bjs e gosto muito de você, viu?!

    ResponderExcluir
  7. Que coisa mais linda e emocionante. Vc tem muito da sua mãe, viu, tudo o que vc descreveu dela consigo te ver plenamente do mesmo jeito mesmo não te conhecendo pessoalmente. Sua mãe sabia das coisas, assim como nós mães também sabemos e aprendemos muito com elas. Bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi Fer,
    Amei seu blog também, quanta idéia boa dá pra tirar daqui, vc tem uma máquina igual a minha, ela é uma delícia né?
    Vamos trocar diquinhas sempre.

    Bjs e volte sempre

    ResponderExcluir
  9. Oi Fer, grande mãe, grande avó... sua mãe é e foi. Pois sei que ela está presente em você, nos seus filhos e se perpetuará nessas história, até no seu blog, já que "sua mãe, essa sim, sabia". Perdi meu irmão também faz uns 8 anos e ele tinha 17 anos... briguei com Deus (depois fiz as pazes), muitas vezes penso quantas coisas eu trocaria, por um pouquinho mais dele. Não sou mãe ainda. Mas imagino a dor que é... se para mim que era apenas irmã... foi perder meu melhor amigo, imagina para mães.
    Um beijo estalado
    Tri

    ResponderExcluir
  10. Fernanda passeando pelo seu lindo blog e deparei com esse lindo depoimento de amor e cumplicidade com sua mãe. E verdade as vezes não entendemos as nossas pessoas queridas pois ainda não temos a maturidade para isso e precisamos passar por momentos difíceis para entender. Essa é a vida fácil de ser vivida mais que por hora complicamos. Beijos

    ResponderExcluir
  11. Alda Eurídice disse: Fernanda querida,amor de mãe não se explica, simplesmemente se sente.O que fica realmente é a gratidão pelos nossos pais, pois se estamos aqui, nesta existência é porque eles nos deram uma missão e siga sempre a sua, siga com o seu nobre coração, bjos carinhosos.

    ResponderExcluir

Oba vai deixar um comentário? Obrigada!!!

Quer conhecer uma loja fofa e cheia de novidades?
www.casadesahira.com.br:
sahirasantos@gmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...